TPM - Taty Paty Matias

Qual é o seu tipo?

 Durante o gélido inverno que passei solteira, observando meus amigos, percebi que existem vários tipos de casal. Há os que formam o casal-bebê. Eles viram um para o outro e começam a falar com aquela vozinha de neném, como se estivessem a falar com seus pais aos 4 anos de idade:

- Amôor... deixa eu dá uma mordidinha na sua barriga, deixa?
Na minha opinião, é o tipo mais irritante de casal. Esquecem-se de adaptar a voz ao diálogo com o restante da mesa e às vezes prosseguem com dengos e chantagens de criança, como se a gente – que está do lado de fora desse "amor" – tivesse que entrar no clima e responder criançola também. Eu mesma já me peguei falando desse jeito com um casal-bebê. Se quiser evitar passar por isso, evite o casal-bebê porque contagia e, pior, vicia. É fácil diagnosticá-los: falam as palavras no diminutivo e demoram horas para desligar o telefone.

- Tá, não vai desligar?

- Ai, não, desliga você.

- Não, desliga você.

- Eu já disse que te amo hoje?

- Já, mas diz de novo.

- Te amo.

- Mais alto.

- TE AMO.

- Ai, que bonitinho!

A música-tema do casal-bebê? "Você é assim, um sonho pra mim..."
Mas há o chamado casal-liberal. É o preferido das amigas solteiras – infelizmente só conheci um casal dessa espécie durante o inverno. O casal-liberal está sempre disposto a ajudar os amigos, a acompanhá-los, a se matricular com eles em aulas de ginástica ou capoeira. O casal-liberal não se incomoda ao notar que alguém está interessado no seu bem amado. O casal-liberal tem um amor quase sobrenatural, sobre-humano, sobretudo liberal. Há casais liberais que até aceitam "dividir". Bom, eu não entendo esse casal-liberal-master nem faço questão de entender. Mas o tipo de casal-liberal-básico, ao qual me refiro, é bastante interessante. O que você conta para Ela não necessariamente irá parar no ouvido Dele – diferentemente dos demais casais, que ao chamar "Ela" para conversar "um assunto muito sério", aparecem os dois. O casal-liberal, emocionado, canta: "O amor só dura em liberdade e o ciúme é só vaidade...".

Há também o casal Alma-gêmea. Esse tipo de casal geralmente começa no estilo casal-bebê e, em pouco tempo, quando você se dá conta, duas pessoas se tornaram uma. Ainda que de início Ele fosse metaleiro e Ela curtisse Mariah Carey, ao se tornarem o casal Alma-gêmea, passam a ter o mesmo gosto musical – e isso pode variar de U2 para Fábio Júnior numa velocidade incrível. O casal Alma-gêmea ou não gosta de cebola ou adora cebola. Não tem essa de um gostar do que o outro detesta. Eles são carne e unha, alma gêmea, as metade da laranja, enfim (abençoado compositor Peninha!). Nasceram um para o outro. Dedicam-se músicas do tipo "nossos destinos foram traçados na maternidade", "você nasceu pra mim, eu nasci pra você, eterno amor" ou ainda "aonde você quiser, eu vou; aonde você quiser, eu vou ficar". É o casal que não se desgruda nem sequer em pensamento. E juntos, Ele e Ela, querem ajudar o mundo a encontrar sua outra metade.

Um casalzinho que vem se tornando bastante comum é o casal Tom-e-Jerry. Fazem o tipo caça e caçador. Brigam demais e se atraem demais. Suas diferenças "acabam no quarto, em cima da cama". O casal Tom-e-Jerry incomoda os amigos. In-co-mo-da (aproveito para desabafar, por isso estou frisando). Ela liga para a amiga de madrugada, aos prantos, contando sobre a terceira discussão da noite. Ele cancela o futebol com os amigos, pela segunda semana consecutiva. Isso porque o casal Tom-e-Jerry adoooora discutir relação. Nossa, "discutir relação" é o que há para o casal Tom-e-Jerry, que discute, discute, discute tanto a relação que ela, por pouco, não termina.
Você pode até estar rindo nesse momento, tirando sarro do colega de trabalho cuja esposa atua de "radiopatrulha". Mas, cá entre nós, uma coisa é fato: todo mundo já foi, tem sido ou será parte de pelo menos um tipo desses casais que listei. A gente nega e renega, mas, no fim das cintas, se entrega.
"É o amor que mexe com a minha cabeça e me deixa assim..."
 
(achou brega, mas também sabe cantar, né?)

 

ABALADA NA BALADA
Ai, que engraçado!
É NO PAGODE
VAI DAR CARNAVAL
Pára tudo!
       
 
   
desenvolvido por VirtuaComm Soluções Internet