TPM - Taty Paty Matias

Ai, que estresse!

 Ai, que estresse!
Coisas realmente estressantes:
 
- O alarme do carro do vizinho que dispara quando ele não está em casa;
- Durante a semana faz sol, no final de semana só chove;
- Telemarketing na hora do almoço (à qualquer hora, incomoda);
- Quando você está há horas na fila do banco distraído, e de repente abre o caixa ao lado e todo mundo que estava atrás de você, passa na sua frente;
- Quando você enfrenta uma fila dessas e, ao chegar ao caixa, percebe que esqueceu uma papelada imprecindível;
- Quando você levanta da cama para fazer algo na cozinha, mas esquece o que era, e só volta a lembrar quando já está deitado de novo;
- Quando você está atrasadíssimo e encontra uma pessoa que não via há anos – e ela desata a falar sem parar;
- O ex que havia sumido resolve telefonar justamente na hora em que você discutia (ou curtia) com o atual;
- Quando você vai ao dentista para uma consulta simples e descobre que terá de fazer tratamento de canal;
- Quando você está super cansado de ficar em pé, mas se vê obrigado a ceder o lugar para uma gestante ou pessoa idosa;
- Toda vez, repito, toda vez em que você é multado;
- Quando você tem que passar um recado urgente a alguém cujo celular está desligado e o telefone residencial ocupado;
- Quando você está com tudo pronto para aquela festa imperdível e descobre que a roupa que pretendia usar está suja ou não ficou bem em você;
- Quando você termina o namoro e sai para se distrair no mesmo lugar que ele(a);
- Quando toda a sua turma toma um porre, menos você;
- Filas de todos os tipos: trânsito, banco, lotérica, posto de gasolina, Via Expressa, a caminho da Mole (derretendo ao sol, atrás de um fubica, ano 92, barulhenta pra cacete, que só sobe o morro em primeira, quando sobe!);
- Aquele barulho de pacote de chips no cinema – e a gargalhada fora de hora do maluco atrás de você;
- Cantadas inconvenientes, ou nojentas, ou breguíssimas: “Doeu? Doeu quando você caiu do céu?”;
- Chegar atrasado na sala de aula e o único lugar vago está lá na frente, pertinho do professor;
- Quebrar o salto, arrebentar a sandália, manchar a calça nas “partes baixas” (e ter que ficar explicando que  é bebida);
- Ser parado por uma blitz justo no dia em que esqueceu o documento do carro – ou não pagou o ipva;
- Quando o Orkut age de “maneira inesperada”, o computador pergunta se você quer “enviar relatório de erros”, o MSN pede para você “tentar mais tarde”, a página que você tentou acessar “não pode ser exibida” e a conexão caiu na hora em que você enviava um email que levou horas para escrever;
- Antes que “seje” tarde; ela tá “meia” doente; ali tem “menas” gente;
- Tropeçar na rua enquanto pensava mal de alguém;
- Gente que fala enquanto mastiga, fala e mastiga, fala e mastiga – você vendo voar restinho de comida na sua direção;
 - Demorar para ser atendido em FAST-food ou caixa “rápido”;
- Esquecer: do aniversário dela(e), do cartão de crédito, das chaves, das senhas, do número do CPF, de qualquer coisa que agora esteja fora de alcance;
-  O programa Irritando Fernanda Young;
- No trânsito, mudar de uma pista lenta para outra que, de repente, pára;
- O aparelho que você comprou há uma semana está com problemas e você não encontra a nota fiscal nem a garantia;
- Quando lhe roubam algo recém adquirido: celular ou carro, boné ou óculos, etc.
- Correr para atender o telefone, deixando cair objetos, batendo com o mindinho na mesa de centro, e era engano – ou não, mas desligaram na sua cara;
- O inconveniente que lhe dá um “tapinha” nas costas quando você está queimado de sol;
- A TV a cabo que saiu do ar na hora mais interessante da programação;
- Quando alguém nota que você está no telefone e mesmo assim tenta dialogar;
- Contratos de prestação de serviços digitados em fonte 8;
- Correr para pegar o ônibus e mesmo assim perdê-lo – e ter que ficar com aquela cara de tacho no ponto;
- Alguém te cutuca em um momento em que você está super concentrado;
- “Perder” as chaves na hora de sair de casa;
- Não lembrar se deixou o carro, a janela ou a garagem aberta;
- O barulho das pulseirinhas de patricinha quando elas decidem apagar uma folha inteira do caderno;
- Bater o carro – e não lembrar o telefone do seguro;
- Acordar tarde e perder a hora do concurso, da prova, da reunião...
- Perguntas inúteis, do tipo: “Vai pagar à vista?” e você com o dinheiro na mão;
- Brigar pelo controle remoto;
- Uma pessoa com “tosse de cachorro” sentada atrás de você;
- Um bebê sentado atrás de você, puxando o seu cabelo sem a mãe perceber;
- Gatos namorando de madrugada: miééééél...
- Cheiro de comida vindo da casa do vizinho e você em casa à base de macarrão instantâneo;
 
 Agora, se tem uma coisa que me estressa mesmo... é gente estressada!

 

ABALADA NA BALADA
Ai, que engraçado!
É NO PAGODE
VAI DAR CARNAVAL
Pára tudo!
       
 
   
desenvolvido por VirtuaComm Soluções Internet