Fala Eficiente

Uma jogada de superação

 

 Esporte, educação, oportunidade, lazer e cidadania. Logo no corredor de entrada da sede do Instituto Guga Kuerten (IGK), no bairro Santa Mônica, em Florianópolis, cinco quadros com tais dizeres retratam os principais propósitos da entidade beneficente que leva o nome do maior tenista brasileiro de todos os tempos.
Mais do que palavras, os objetivos da instituição são revertidos em ações. E uma delas é o projeto ‘Aprendendo no Esporte’, onde cerca de 30 alunos da Cooperativa Social de Pais, Amigos e Pais de Portadores de Deficiência (Coepad) recebem semanalmente, entre diversas atividades, aulas de iniciação ao tênis nas quadras do Lagoa Iate Clube (LIC).
Com larga experiência em treinar atletas de alto rendimento, o professor Célio Borges coordena, com muita didática e bom humor, uma turma extremamente empolgada com o novo aprendizado. “É muito gratificante este lado humano, a alegria, a sinceridade”, diz. “Eles têm dificuldades na coordenação, mas se sobressaem com a força de vontade”.
Um exemplo de superação é Miguel. Ele possui apenas 20% da visão, mas através do som da bolinha batendo no chão, e com incentivo dos colegas, consegue localizá-la e rebater para o outro lado da rede. A cada jogada certeira, a vibração da turma é grande, provando que ali a competição dá lugar à cooperação.
Dona Dalva da Silva foi acompanhar de perto o primeiro dia da filha Sofia, de 19 anos, como aluna do projeto. Ela é doméstica, mas no momento está sem emprego, pois não tinha com quem deixar a menina. “Agora vai ser bom, pois eu tenho que trabalhar e ela tem onde ficar”.


Todos são vencedores

 Como forma de incentivo aos alunos do projeto ‘Aprendendo no Esporte’, periodicamente são realizados torneios de integração. No dia 28 de maio acompanhamos de perto 21 tenistas especiais participando de uma amigável disputa no saibro.
Mais do que um jogo de tênis, o que se vê ali é uma grande lição de vida. Cada um com sua limitação, mas em comum a dedicação de todos e o sorriso constante estampado no rosto dos alunos e dos professores. Uma verdadeira confraternização em que uma jogada vinha acompanhada de um abraço carinhoso do colega.

 De acordo com a presidente do IGK, Alice Thümmel Kuerten, esse clima de integração é um dos aspectos mais valiosos em se realizar atividades esportivas com os portadores de necessidades especiais. “É impressionante o quanto os nossos professores cresceram com eles”, afirma Alice. “Tudo para eles é uma vitória. Não precisa ser o primeiro, o importante é estar lá”.
Na hora de premiar os vencedores, o suspense tomou conta do ambiente até o professor divulgar o resultado. “O jogo foi muito equilibrado, todos jogaram bem e teve um empate técnico”, explicou Célio, antes de comunicar que todos receberiam medalhas.
Após o anúncio, a festa estava completa. Fila para receber a premiação, poses para fotos e demonstrações puras de afetividade. Como forma de gratidão, Luciano Cordeiro Ramos, um dos mais empolgados da turma, soltou a voz e interpretou ‘Emoções’ de Roberto Carlos.
A música foi totalmente adequada para a ocasião. Um momento que inicialmente seria registrado apenas para as páginas da revista Mural, certamente marcou a vida de quem o presenciou.

Se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi...

 

 

 

 

 

       
Uma jogada de superação
Homem de ferro e fibra de carbono
Doze vezes eficiente!
A turma da casa laranja
Cooperação é a palavra certa
Pelas mãos de Scheidt
       
 
   
desenvolvido por VirtuaComm Soluções Internet