Fala Eficiente

Cooperação é a palavra certa

 

 Na edição passada da seção ‘Fala Eficiente’, conhecemos a turma da Cooperativa Social de Pais, Amigos e Portadores de Deficiência (Coepad) em um torneio muito especial de tênis, realizado no Lagoa Iate Clube em parceria com o Instituto Guga Kuerten.
Na ocasião, nossa recepção foi extremamente calorosa e não tivemos como deixar de contar um pouco mais da história da entidade e conhecer o dia-a-dia de seus alunos, ou melhor, dos cooperados, como os profissionais que lá atuam fazem questão de se referir aos portadores de deficiência envolvidos com a instituição.
A Coepad funciona como uma fábrica, onde são feitos, basicamente, artigos com papéis reciclados e produtos higiênicos. Os portadores de necessidades especiais, além de serem responsáveis pela produção, são como sócios da cooperativa – daí a denominação cooperados - e dividem entre si o lucro obtido com a venda das mercadorias.

 De acordo com o gerente administrativo, Júlio César Garcia, o ambiente favorece os cooperados, pois não existe a competitividade comumente presente em empresas. “Nosso principal objetivo é torná-los cidadãos através do trabalho”, comenta.
Logo na entrada da cooperativa, localizada no Centro da Capital, nos deparamos com a oficina de reciclagem.  Atividades que vão desde a seleção do papel, passando por triturar, peneirar, acrescentar sisal e manipular a prensa hidráulica são desenvolvidas habilmente pelos trabalhadores especiais e, acima de tudo, dedicados.

 E a produção não pára por aí. Para transformar o papel reciclado em objetos como convites, álbuns de fotografia, embalagens, cadernos e canudos para formatura, a matéria inicial passa pela oficina de cartonagem até ser transformada em produtos para comercialização. 
As vendas são efetuadas sob encomenda e também no Centro de Cultura e Eventos da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).  “Hoje, conseguimos atingir uma boa qualidade em nossos produtos”, diz o gerente da Coepad.
Dentre diversas oficinas, a entidade conta ainda com a de serigrafia, instalada na Associação Catarinense para Integração do Cego (Acic) e com a de produtos higiênicos, de onde saem fraldas descartáveis infantis e geriátricas, com qualidade competitiva às existentes no mercado.


O sonho da sede própria

 A cooperativa surgiu no final de 1998, quando foi extinta a turma especial do Colégio Coração de Jesus. Atualmente, a Coepad atende diariamente cerca de 30 cooperados, no local cedido pela Fundação Vidal Ramos, mas a meta é chegar a um número próximo a 200.
“O espaço físico está pequeno. Em uma área maior daria para trazer mais gente e produzir mais”, explica Júlio Garcia, já que a área disponível no momento é de 150m2. 
Além de aumentar o número de pessoas atendidas, instalações mais adequadas permitiriam auxiliar também portadores de deficiência física. Na atual sede existem muitas escadas, o que impossibilita  atender, por exemplo, cadeirantes.
O projeto para a nova sede está concluído e prevê a construção de 510.00m² para instalação de sete oficinas, escritório, cozinha, refeitório, sala para atendimento psicológico, sala para reuniões, dois depósitos, dois banheiros, uma sala para expor os produtos a venda e outra para recreação.
Porém, a verba disponível ainda não é suficiente para colocar este sonho em prática e, por isso, a entidade está em busca de parceiros para auxiliarem na concretização deste projeto.


Contato com a Coepad
Rua Victor Konder, 321, Centro
Fone| 3222.8757 / 3223.5710
E-mail| coepad@coepad.com.br
www.coepad.com.br

 


Homem de ferro e fibra de carbono
Doze vezes eficiente!
A turma da casa laranja
Uma jogada de superação
Pelas mãos de Scheidt
       
 
   
desenvolvido por VirtuaComm Soluções Internet