Saudades

Aquela outra Floripa | 1980

 

 Recordar o primeiro show de Lulu Santos em Floripa é tocar no último grande momento de pureza da cidade. É lembrar de uma geração power & flower que não teve sucessora. É lembrar da Turma do Kioski, do bar do Chico na Joaca, do Beto Stodieck morando na Lagoa,  do festival e do jornalzinho  Rock, Surf e Brotos do Cacau Menezes e Ricardinho, do DJ Tuca, da boate Dizzy, do Fernando Fontes, do Paulo Dutra, da Bia Rosa, das cocotas do Doze e das mariposas do Paineiras, da lojinha "De tudo um Pouco", da boutique Marrocana, do Big Bravos e Iron bar, do Felipe e do Pedroca, do Toló, Ivanzinho e Agenor... Do Agapito, do jogo de palitó, dos porres do Coral na praia, do Sidney Lenzi, da Le 88, do  Schmitão e do Beaco. Que saudade, meu irmão...


O primeiro show fora do Rio

 Cacau gostava muito de ir ao Rio de Janeiro desde quando se descobriu por gente. Virei logo torcedor do Botafogo e fã do Nelson Motta, tudo que eu queria ser quando crescesse. Nelsinho era apresentador de um programa na Globo, o Sábado Som, onde exibia clipes e falava de música, shows, artistas, festas. Tive a felicidade de poder trazê-lo para um grande show no aterro da Baía Sul, o Ginga Brasil, em 1980. E aí ficamos amigos. Até hoje. Numa de minhas idas ao Rio de Janeiro, Nelson Motta estava namorando uma vocalista da Gangue 90 e as Absurdetes. E era amigo do líder da banda, Júlio Barroso, que logo depois se suicidou. Era muito louco. Passamos uma noite no seu apartamento da Joaquim Nabuco, ele com a loira, eu com meus amigos de Floripa, mas todos juntos. E daí pintou a idéia de trazer a Gangue para um reveillon em Floripa e um tal de Lulu Santos. Como eu já era bem relacionado aqui na cidade,  trabalhava na RBS-TV e fazia minhas festas, aceitei a sugestão do Nelsinho e trouxe o Lulu Santos para seu primeiro show em Floripa.

 Que, por coincidência, foi também o seu primeiro show fora do Rio. Lulu só tinha uma música tocando no rádio, "De leve", uma versão superdançante que fez para Get Back, dos Beatles. Virou logo um hit. E foi por causa de uma música só que veio e lotou o Vegas bar numa noite de verão de 1980. Que delícia!  Que saudade! O baterista era ninguém menos do que Lobão. E o baixista Marcelo Sussekind, que depois foi para a Blitz. O patrocínio era do Saco & Cuecão, segmento de roupa jovem da rede Alfred. Lulu Santos era namorado da jornalista Scarlet Moon, que em Floripa era mais conhecida do que ele, via revista Interwie, que o Beto Stodieck vivia badalando. O que fazia sucesso no Rio, Floripa adotava na hora. Lulu, a mulher e os músicos ficaram hospedados no Querência Palace Hotel, de saudosa memória.

Vegas bar

 Tivemos que fechar a frente do bar com plástico para que o pessoal que passasse pela calçada da Beira-mar Norte não visse o show sem pagar. Naquela época, a cidade ia andar na Beira-mar à noite, pra lá e pra cá.  Era ponto de encontro. Lotamos o show.  Bem, na verdade, lotei. Tudo que fazia, tinha aquele público de bom gosto da praia que ia atrás. O Vegas era um bar-kioski, ao ar livre, colado à boate Dizzy, que também era do Fernando Fontes, no lugar que hoje está o Ópera Club, vizinho do El Divino. Noite de verão, apresentei o show, ao ar livre, de calção (veja foto). E Lulu tocou de moletom. Galera bonita, jovem, parafinada, beautiful people. Depois do show, todos para a Dizzy, a boate ao lado, porque a festa só foi terminar ao som do DJ Tuca, ao amanhecer.
  

Abertura do verão de 1983
Bar do Chico | 1980
Jorge Benjor ao ar livre | 1980
Gilberto Gil na Ilha
Beto Stodieck por Cacau Menezes
       
 
   
desenvolvido por VirtuaComm Soluções Internet