Palcos & Palcos

Thank you Ben!



Por Gabriel London
Colaboração: Dani d´Avila


 "Ben Harper está no Lounge". Com esta mensagem recebida no celular foi dado o pontapé inicial para dois dias de convívio e bate-papo com o ídolo que atraiu uma multidão para sua primeira apresentação em Florianópolis, na noite de 20 de janeiro.
Era sexta-feira, um dia antes do show, e o cantor jantava com os músicos de sua banda no pátio do El Divino Lounge, na Beira-mar, quando cheguei ao local, por volta das 22h. Para ser exato, ele tomou uma caipirinha, comeu queijo brie com Vinho do Porto e pediu um linguado como prato principal.
Meu primeiro contato foi com o baterista Oliver Charles. Enquanto questionava sobre a impressão dele em relação à cidade, chegou Donavon Frankenreiter, que também tocaria na noite seguinte.
Quando fui conversar com Ben Harper ele foi bastante receptivo. Falou sobre o desejo de gravar com Bob Dylan e Van Morrison e da experiência de já ter dividido o palco com o guitarrista Carlos Santana. Sobre os artistas que gostaria de ter trabalhado, logo citou Bob Marley, “a lenda”.
Entre diversas histórias, contou ter comprado o primeiro disco da NWA, nos anos 80, diretamente do porta-malas do carro de Dr. Dre em Los Angeles, quando o rapper ainda não possuía notoriedade.
Em meio ao diálogo, fui obrigado a confessar que era uma situação inusitada para mim estar ali conversando com ele. “Eu não sou diferente. Somos todos feitos do mesmo tecido”, afirmou o cantor em uma demonstração de humildade.

Um show impecável

 Vestindo a camisa 10 da Seleção Brasileira, o cantor Ben Harper subiu ao palco do El Divino Club pouco depois da 1h para comandar um público de 17 mil pessoas durante mais de duas horas.
Em uma atuação perfeita, digna de um craque que integra o time das grandes estrelas internacionais da música, ele e sua banda The Innocent Criminals mesclaram canções do recente álbum Both Sides of the Gun com sucessos como Burn One Down, With My Own Two Hands e Sexual Healing.
Nos olhares da platéia era perceptível a realização em ver o ídolo de perto. A cada ação de Ben Harper, o público reagia imediatamente, seja com palavras ou gestos. Com certeza, uma noite para marcar a história de Floripa, que cada vez mais vem se fixando como parada obrigatória no circuito dos grandes eventos.   


After party

 Após o show, fomos para o hotel onde ambas as bandas estavam hospedadas, na Beira-mar. Entre uma cerveja e outra, Ben Harper se disse impressionado com o calor do público brasileiro.  “É o melhor show que já fiz em todos os tempos”, afirmou. “É impressionante que o pessoal não fala minha língua, mas canta todas as músicas. Quero ver se em São Paulo vai ser tão bom assim”.
Para mim, só o fato de ter Ben Harper tocando na Ilha já era um grande acontecimento. Mas quando me dei conta, estava ali com ele trocando idéias como se fosse um amigo de longa data.
Na volta para casa, lá pelas 10h da manhã, ainda mal acreditava ter vivido um momento tão especial e de grande aprendizado com um rock star, que sabe ser um astro em cima de um palco e um ser humano incrível quando não está nele.

Thanks Ben, Donny, and the guys for a moment that I’ll never forget! Hopefully we meet again in this life or the next.
Peace…

 

 

 

       
Thank you Ben!
Akon | 30 horas em Florianópolis
De volta para a Ilha, Mirábilis lança novo CD
Black Eyed Peas
       
 
   
desenvolvido por VirtuaComm Soluções Internet