Fala Mariana Barbato

Saúde das unhas


 
 Com a função de proteger a ponta dos dedos e auxiliar no manuseio de objetos, a unha é um anexo da pele  formado por queratina. Atualmente, as unhas passaram a ter função cosmética e decorativa. Na era das unhas bem feitas e decoradas, diversos são os produtos lançados no mercado para satisfazer a vaidade feminina.
As unhas apontam doenças
Na medicina a unha alterada ajuda a diagnosticar algumas doenças internas (problemas cardíacos, renais ou pulmonares), doenças cutâneas como psoríase, por exemplo, e deficiências de nutrientes (avitaminoses, deficiência de ferro). Conforme o tipo de alteração na superfície da unha, suspeitam-se de determinados diagnósticos.
A micose da unha (onicomicose) é uma queixa freqüente no consultório dermatológico. O tratamento, dependendo da extensão das lesões, deve ser realizado com antifúngicos em forma de esmalte ou comprimidos via oral. O tratamento é realizado, geralmente, por um longo período, já que o crescimento das unhas é lento. As medicações podem causar efeitos colaterais, portanto devem ser prescritas apenas pelo médico. Deve-se ter cuidado, pois embora freqüente, nem todas as alterações nas unhas são causadas por fungos.
Traumas repetidos dos dedos em esportistas ou em quem utiliza calçados apertados também podem causar o descolamento da lâmina ungueal – a parte aparente da unha -  e o aparecimento de hematomas. A unha encravada também aparece nos casos de trauma e, dependendo da gravidade, é tratada com antibióticos ou extração do canto da unha.
A inflamação da cutícula (paroníquia) é uma afecção comum, observada com mais freqüência em pessoas que mantém as mãos úmidas ou as lavam de forma repetitiva.
Alguns tipos de tumores também podem aparecer nas unhas merecendo tratamento cirúrgico.
 

No salão de beleza

 Instrumentos de manicure devem ser devidamente esterilizados. Se possível, leve seu seu próprio material (alicate, lixa e afastadores de cutícula). Lembre que além de micoses esses objetos podem transmitir doenças mais graves, como a hepatite.
Quem não vive sem esmalte deve ter cuidado com a dermatite de contato (alergia) ao esmalte, que é muito freqüente nas mulheres. Nestes casos, uma alternativa são os esmaltes hipoalergênicos.
Quem não é alérgico e tem unhas fracas pode utilizar as bases fortificantes com formol e vitaminas. Mas se forem utilizadas em excesso podem ressecar as unhas, que também necessitam de hidratação.
 

Cuidados

 -Mantenha as unhas sempre secas e limpas.
-Não roer as unhas. Este hábito favorece infecções.
-Cuidar com objetos de manicure não esterilizados.
-Evite mexer na unha encravada já infectada.
-Evite andar descalço em ambientes úmidos,
- Alguns suplementos com queratina e vitaminas podem melhorar o crescimento e fortalecer as unhas, mas devem ser receitados pelo médico. Evite auto-medicação.
-Diante de qualquer alteração da coloração, da textura e da conformação da unha procurar um dermatologista, pois isso pode ser um sinal de que algo não está bem.
 
Capriche nos cuidados. Assim você terá unhas saudáveis e poderá exibi-las à vontade.

 

 

Manchas na pele, e agora?
Sol e Câncer de pele: o que você precisa saber
Cuidados com a pele no inverno
Dermatologista fala dos cuidados com a pele
       
 
   
desenvolvido por VirtuaComm Soluções Internet