Fala Mariana Barbato

Manchas na pele, e agora?


 
 Esta época do ano é propícia para o aparecimento de manchas, já que o sol e o calor estimulam a produção de melanina, que pigmenta a pele.  Além do sol, problemas hormonais também são responsáveis pelo escurecimento cutâneo (anticoncepcionais, gestação e reposição hormonal).

Por isso, os cuidados com a fotoproteção são fundamentais, lembrando sempre de reaplicar o filtro solar (essa dica vale mesmo para quem não está na praia).

As manchas escuras que aparecem na face - melasma - são uma queixa frequente no consultório e geralmente causam grande constrangimento, principalmente para as mulheres.

Existem várias formas de tratamento: clareadores tópicos, peelings e laser.

O tratamento tópico pode conter clareadores potentes e ácidos, porém, nesta estação, recomenda-se formulações mais leves que não irritam a pele para que o problema não se acentue. Após o verão, podemos aumentar a concentração dos ativos e utilizar ácidos mais fortes.

Os peelings são uma ótima opção para quem quer acelerar o tratamento. Além de clarearem as manchas eles estimulam a produção de colágeno na derme e melhoram as rugas finas. Existem peelings mecânicos de cristal e diamante e peelings químicos com vários tipos de ácidos (retinóico, mandélico, glicólico, salicílico e tricloroacético). A escolha do peeling dependerá do tipo e da tonalidade da pele de cada indivíduo, logo ele deve ser feito por um dermatologista.

Os lasers fracionados também são uma excelente escolha para quem tem pressa no clareamento, são modernos e permitem ao paciente voltar para suas atividades precocemente, já que os disparos do aparelho poupam pequenas áreas de pele que ajudam na rápida reepitelização pós-procedimento.

As melanoses solares são outro tipo de mancha que aparecem com frequência nas mãos e pioram com a idade, e também podem ser tratadas. Além dos tratamentos relatados anteriormente, podemos utilizar a luz intensa pulsada e a crioterapia (congelamento das lesões), ambas as técnicas provocam o aparecimento de crostas na pele que quando removidas provocam o clareamento.

Todos os tratamentos necessitam de manutenção, pois a pele que já foi manchada apresenta uma vulnerabilidade grande para o escurecimento.

A dica é não se desesperar e correr para um dermatologista. Para quem ainda mantém a pele clarinha, o melhor é não dar sorte para o azar e ter um filtro solar sempre à mão.
 

 

Sol e Câncer de pele: o que você precisa saber
Saúde das unhas
Cuidados com a pele no inverno
Dermatologista fala dos cuidados com a pele
       
 
   
desenvolvido por VirtuaComm Soluções Internet