Fala Peludo

A vez do vira-lata

 O FalaPeludo dessa edição abre espaço para divulgar um assunto de suma importância: Os Cães Abandonados- os famosos Vira-latas! Encontramos eles por toda a cidade, são carentes, lindos, fieis companheiros e só estão a espera de um ombro amigo, de um lar, de alguém que os adote e cuide deles em troca de todo o seu amor e carinho.
Precisou uma pessoa muito especial vinda de Portugal para ver na nossa cidade essa triste realidade e fazer  uma coisa muito bacana, criar uma Fundação para cães abandonados!!!
Parabéns! Aqui fica o meu agradecimento e reconhecimento ao Zé Luis, essa nobre alma que abraçou essa causa!

1| O que levou você a criar a Fundação para cães abandonados?
R|
Quando cheguei a Floripa fiquei maravilhado com a beleza natural do lugar e a simpatia das pessoas. No 3° dia já decidi morar aqui, porém como europeu apenas fiquei desapontado com o tratamento dado aos animais. Os cavalos serviam para trabalhar até morrer de cansaço e os milhares de cachorros andavam pelas ruas até serem atropelados ou morrerem doentes ou envenenados. Com o tempo, descobri que muita gente adorava animais e não sabia como ajudar. Através da cãofiança na lagoa tive contato com a dona Olga. Ela cuidava sozinha de 80 cachorros, decidi então adquirir o terreno de 3150 m2 e destina-lo ao uso gratuito de todos os florianopolitanos amantes de animais.

2| As pessoas participam(ajudam) deste seu empreendimento?
R|
Financeiramente ninguém me ajudou, mas tive a ajuda de várias pessoas, sem as quais não poderia levar adiante o projeto. A arquiteta Marina, que fez o projeto gratuitamente, a advogada Marília e o Mauricio da ONG “É o bicho”, cujo trabalho pelos animais de Florianópolis tem sido incansável.

 3| Você tem alguma história relacionada com os cães para contar?
R|
Eu tirei fotos de vários cachorros, que vão estar no nosso site www.jdreamteam.com. Um que tirei do esgoto quase morto e hoje recuperado, um poodle cego de tanta sujeira e tratado gratuitamente pela Loja Bicho de luxo no Angeloni da Beira mar e depois doado, além da recuperação de filhotes abandonados no meio da estrada quase mortos..Enfim todos tem historia para contar. A idéia era não ter nenhum cachorro lá, o que seria um bom sinal.

4| Quantos cães você já tem lá na fundação?
R|
111 cães abandonados!!!!
 

 5| De que maneira a sociedade poderia colaborar com a fundação?
R|
Estamos instalando detectores de presença e câmaras de filmar para as pessoas não abandonarem animais na porta. Penso que a sociedade pode resolver este problema. O prefeito Dario Berger deu o primeiro passo ao nomear a Maria da Graça Dutra para a área de proteção de animais e o promotor  público do meio ambiente Antonio Herculano ao tentar criar o centro de zoonose. A sociedade pode colaborar ajudando a doar os cachorros recuperados, participando da campanha de castração da prefeitura, e as agropecuárias doando ração e medicamentos vencidos. A área é grande e isolada, e tem como vizinho eu mesmo, do lado esquerdo e direito para ninguém poder reclamar. Agradeço apenas a empresa em que trabalho ha 14 anos a Herbalife International, uma multinacional que existe em 61 paises e que nunca vai me deixar na mão. Por isso quando me perguntam, você não tem medo do futuro gastando seu dinheiro neste projeto? eu respondo que não pois sei que trabalhando na Herbalife as coisas só tendem a melhorar.

Um grande abraço a todos, José Luis Gonçalves!

 

Dentista para c„es
Amor imortalizado em arte
Retrospectiva canina
Dicas culturais
C„oversando
       
 
   
desenvolvido por VirtuaComm Soluções Internet